Síria: mais de 4.000 civis fogem de Aleppo após ataque das forças de Assad

0
54

Síria: mais de 3.000 civis fogem de Aleppo após ataque das forças de Assad

media

Em menos de 24 horas, mais de 3.000 civis fugiram da zona rebelde de Aleppo rumo às áreas controladas pelo regime da Síria, depois que o exército reconquistou o maior bairro insurgente da segunda cidade do país.

No sábado à noite (26), pela primeira vez desde 2012, centenas de civis começaram a abandonar o leste da cidade, segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

A captura do distrito de Masaken Hanano, no sábado (26), é o maior êxito militar do exército sírio desde o início da ofensiva lançada em 15 de novembro para retomar a parte oriental da cidade, nas mãos dos rebeldes desde 2012.
Estimulado por esse avanço, o regime mostrou sua intenção de expulsar os rebeldes, que denunciam a inação da comunidade internacional frente à política "de fome e submissão" implementada pelo regime.

Masaken Hanano foi o primeiro bairro conquistado pelos insurgentes em 2012. O conflito dividiu a cidade em duas partes: o leste, controlado pelos rebeldes, e o oeste, em poder do exército. As forças do regime assediam a zona oriental de Aleppo, onde estão cercadas cerca de 250.000 pessoas, há quatro meses.

Esses civis viviam em sua maioria nos distritos de Haydariye e Chaar, vizinhos de Masaken Hanano. "Eles se dirigiram a Masaken Hanano, onde o exército os levou a áreas governamentais" do norte e do oeste da cidade, segundo o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

Neste domingo (27), o exército continuava seu avanço para Sajur, outro reduto rebelde, com violentos bombardeios. A tomada deste bairro pode permitir ao regime partir o setor rebelde em dois, isolando o norte e o sul. "A aviação destrói tudo de forma metódica, zona por zona", disse Yaser al Yusef, representante de um dos principais grupos rebeldes de Aleppo, Nuredin al Zinki.

Yusef acusou o regime e seus aliados russo e iraniano de "aniquilar a revolução (…) e de aplicar a política da fome e da submissão, diante da ONU, sem nenhum respeito ao direito internacional". As escolas continuavam fechadas no leste de Aleppo por causa dos bombardeios que atingiam a cidade pelo 13º dia consecutivo.

Civis, as vítimas inocentes da guerra síria

"O exército sírio teve seu maior êxito em Aleppo Oriental" e "abre o caminho para um novo avanço", escreveu neste domingo o jornal pró-governo Al Watan. "Está determinado a continuar a ofensiva, primeiro nos bairros adjacentes a Masaken Hanano, e depois limpando completamente os bairros do leste", acrescentou o jornal.

A ofensiva do regime deixou 219 civis mortos, entre eles 27 crianças no leste de Aleppo, onde a população é carente de tudo por causa do cerco que isolou a área, segundo o OSDH.

A guerra síria, que começou em 2011 quando o regime reprimiu manifestações pacíficas, deixou mais de 300.000 mortos, e se transformou em um conflito cada vez mais complexo, onde estão envolvidas forças regionais, internacionais e grupos extremistas.

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome