Timor-Leste investe em transparência e eficiência nos serviços públicos

0
32

Ouvir /

Ministro da Administração, Dionísio Babo Soares contou a Rádio ONU que país tem avançado na administração do funcionalismo e investido em profissionalização de concursos e postos públicos.

Bandeira de Timor-Leste.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Mais de 14 depois da restauração da independência, o Timor-Leste tem registrado avanços na profissionalização do funcionalismo público.

O país participou do Dia do Serviço Público marcado pela ONU em 23 de junho com um evento em Nova York.

País novo

Nesta entrevista à Rádio ONU, o ministro da Administração Estatal, Dionísio Babo Soares falou sobre os esforços do Timor-Leste para criar melhorias no serviço público depois de começar um projeto de formação de quadros basicamente do zero.

"Nós temos por volta de 30 mil agentes da administração pública para um país que tem só 1,2 milhão de habitantes. Estamos a fazer todo o possível com as nossas limitações, como um país novo, depois de tantos anos da colonização estrangeira, só agora que começamos. Mas estamos a fazer todo o máximo."

Dionísio Babo Soares também contou que o fato de pertencer à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, confere um apoio para o Timor-Leste e uma possibilidade de cooperação também na área de administração. Ele afirmou que o Timor está no mesmo patamar que os demais membros do bloco.

Aproveitamento

Ao falar do crescimento do ensino do português no Timor-Leste, Babo Soares contou como ele mesmo aprendeu o idioma já adulto.

"O governo brasileiro e o governo português em si investiram muito. E ainda estão a continuar a investir. Eu espero que esse investimento não pare aqui. Mas o aproveitamento depende também de cada um de nós. Como eu disse, eu tinha muito pouco conhecimento da língua portuguesa no passado. Depois da independência, eu fiz um esforço muito grande para, pelo menos, poder comunicar com essa língua."

A língua portuguesa, ao lado do tétum, tem status de língua oficial no Timor-Leste.

Para o ministro Babo Soares, o idioma também ajuda a conferir uma identidade diferente ao jovem país do sudeste da Ásia.

Dionísio Babo Soares retornou ao Timor-Leste no fim de semana após uma série de encontros na sede das Nações Unidas.

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome