Sobras de alimentos das Olimpíadas irão virar refeições para necessitados

0
67

Ouvir /

Projeto foi apresentado na agência da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO; iniciativa "Reffeto-Rio" vai recuperar alimentos da Vila Olímpica e transformá-los em refeições nutritivas para os que precisam.

Da esq.: o chef Massimo Bottura, o ministro italiano Maurizio Martina, o diretor-geral da FAO, José Graziano, e o chef David Hertz. Foto: FAO

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Uma iniciativa para combater o desperdício de alimentos durante os Jogos Olímpicos foi apresentada esta sexta-feira na sede da agência da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO, em Roma, na Itália.

O projeto "Refetto-Rio" é do chef italiano Massimo Bottura, fundador do "Comida para Alma" e do chef brasileiro David Hertz, criador da ONG Gastromotiva.

Nutrição

A ideia é reaproveitar a comida excedente da Vila Olímpica, que será transformada em refeições nutritivas e depois, distribuída para os mais necessitados no Rio de Janeiro.

De Roma, David Hertz explicou para a Rádio ONU como a iniciativa funcionará na prática.

Moradores de Rua

"A gente está construindo num lote da prefeitura esse restaurante escola, onde todos os ingredientes virão da Vila Olímpica, o excedente de ingredientes que iriam para o lixo. Esses ingredientes vão para esse espaço, na Rua da Lapa, 108, onde a gente está construindo o restaurante escola. A ideia desse projeto é deixar um legado. E vamos atender públicos que estão na região central, como moradores de rua e pessoas da comunidade Lgbt, que vivem situações de vulnerabilidade social."

Serão fornecidas também aulas de nutrição e de culinária para jovens. Cerca de 45 chefs de vários países vão participar do projeto e voluntários já foram convidados para contribuírem com a iniciativa.

Toneladas

A FAO calcula que, por ano, um terço da produção de alimentos seja desperdiçada no mundo, equivalente a mais de 1 bilhão de toneladas. Um terço de todos os solos cultivados produz alimentos que nunca serão consumidos.

O chefe da agência da ONU, José Graziano da Silva, declarou que todos os cidadãos podem contribuir para o fim da fome e destacou o papel de chefs da gastronomia em aumentar a conscientização sobre o desperdício e a importância da nutrição.

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome