RD Congo aproxima centenas de mulheres com investimento da ONU

0
27

Ouvir /

Cerca de US$ 2,5 milhões foram aplicados numa iniciativa do Fundo de Consolidação da Paz; beneficiárias incluem pigmeias e familiares de forças de segurança; base da iniciativa é o diálogo, a reposição da autoridade do Estado e a reintegração dos congoleses.

Mulheres coletam assistência fornecida pelo programa de estabilização. Foto: OIM 2016

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Cooperativas agrícolas e pequenas empresas apoiadas pelas Nações Unidas beneficiam a mais de 750 mulheres na República Democrática do Congo, RD Congo.

A iniciativa faz parte do programa “A Paz é o caminho do progresso” e cobre a província nordestina de Ituri. O investimento de US$ 2,5 milhões no projeto foi feito pelo Fundo de Consolidação da Paz das Nações Unidas.

Conflito

Recentemente, milhares de pessoas fugiram das suas casas devido à violência das milícias Mai Mai, na província que é marcada por 18 anos de conflito inter-étnico. Os confrontos envolvem rebeldes como as Forças Democráticas para a Libertação do Ruanda, Fdlr, e as Forças Democráticas Aliadas, ADF.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, participa no projeto apoiando a mais quatro agências das Nações Unidas.

O objetivo é envolver as comunidades num diálogo inclusivo sobre as causas profundas dos conflitos na região, incluindo temas como posse da terra e acesso aos recursos naturais.

Aproximação

Mulheres vulneráveis como as pigmeias e esposas de membros da polícia e do exército juntaram-se às associações que "promovem uma maior aproximação entre as comunidades, as populações e as autoridades."

Os residentes encontram-se para discutir aspectos da vida comunitária e para sublinhar esforços para a paz através de instituições estatais transparentes e inclusivas.

Confiança

A outra meta é construir edifícios para a Polícia Nacional Congolesa que estejam totalmente equipados e treinar elementos da corporação para que melhorem a sua confiança e responsabilidade na relação com as comunidades.

O diálogo democrático, a reposição da autoridade do Estado e “a reinserção e a reintegração com o apoio económico aos deslocados" são as bases do programa que tem o apoio da Missão da ONU na RD Congo, Monusco.

Leia e Oiça:

Febre amarela: OIM ajuda a reforçar controlo nas fronteiras RD Congo-Angola

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome