2016: ano “turbulento para refugiados e migrantes”

0
33

18/12/2016

2016: ano "turbulento para refugiados e migrantes"

Ouvir /

Avaliação é do secretário-geral da ONU em mensagem sobre o Dia Internacional dos Migrantes, neste domingo; Ban destacou "raios de esperança, com cidadãos e comunidades abrindo seus braços e corações"; ele citou Declaração de Nova York como "promissora resposta internacional"

Migrantes resgatados pela Guarda Costeira da Itália. Foto: OIM/Francesco Malavolta

Laura Gelbert, da ONU News em Nova York.

"Este foi outro ano turbulento para refugiados e migrantes", na avaliação do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Ele lembrou o "contínuo efeito devastador de conflitos armados sobre populações civis levando à morte, destruição e deslocamento".

Ban ressaltou que o mundo tem sido testemunha da "inaceitável" perda de vidas no Mediterrâneo e outros lugares.

Turbulência e esperança

Em mensagem sobre o Dia Internacional dos Migrantes, neste domingo, 18 de dezembro, ele alertou ainda para o "o surgimento de movimentos populistas que tentam excluir e expulsar migrantes e refugiados e culpá-los por vários males da sociedade" .

"Mesmo com toda esta turbulência", o chefe da ONU destacou que "raios de esperança" ainda podem ser vistos, com "cidadãos e comunidades preocupados abrindo seus braços e corações".

Resposta promissora

Ele também chamou atenção para o que chamou de "promissora resposta internacional, que culminou com a Declaração de Nova York, adotada em setembro na Cúpula das Nações Unidas sobre Refugiados e Migrantes"

Para Ban, agora é crucial que "governos honrem e apoiem o compromisso para dirigir grandes movimentos de refugiados e migrantes de maneira solidária, focada nas pessoas, atenta ao gênero e ancorada em direitos humanos fundamentais".

Humanos

O secretário-geral lembrou que "cada migrante é um ser humano com direitos humanos" . Ele defendeu que "proteger e defender" esses direitos e "liberdades fundamentais de todos os migrantes, independente de seu status, é um dos pilares da Declaração de Nova York".

Segundo Ban, para que isso seja alcançado é preciso haver "forte cooperação internacional entre os países de origem, trânsito e destino, como preveem leis e padrões internacionais".

O chefe da ONU destacou a necessidade de "rejeitar intolerância, discriminação e políticas que sejam pautadas por discurso xenofóbico e culpabilização dos migrantes". Para ele, "aqueles que abusam e prejudicam os migrantes devem ser responsabilizados".

Movimentos forçados

Na mensagem, Ban defendeu ainda que "uma resposta sustentável às necessidades dos migrantes é enfrentar os responsáveis por movimentos forçados de pessoas", incluindo "pobreza, insegurança alimentar, conflito armado, desastres naturais, mudanças climáticas e degradação ambiental".

Ele citou ainda "maus governos, persistência de desigualdades e violações de direitos econômicos, sociais, civis, políticos ou culturais".

O secretário-geral também ressaltou a importância de "expandir os canais legais para a migração segura, incluindo para reunificação familiar".

Leia e Ouça:

ONU quer fim de detenções de migrantes em “condições desumanas” na Líbia

Relatores avaliam que situação está difícil para minorias em Portugal

No Dia dos Direitos Humanos, Ban pede união contra a xenofobia

Compartilhe

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome