Unicentro realiza II Colóquio Nacional de Estudos de Gênero e História

0
157

A programação do Colóquio contou com simpósios temáticos, mesas-redondas e palestras (Foto: Coorc)

A programação do Colóquio contou com simpósios temáticos, mesas-redondas e palestras (Foto: Coorc)

O II Colóquio Nacional de Estudos de Gênero e História é um evento que tem como objetivo ser um espaço de discussão e diálogo sobre os diversos campos do conhecimento que utilizam a categoria gênero em atividades de pesquisa, ensino, e extensão. Organizado pelo Laboratório de História Ambiental e Gênero e pelo Grupo de Pesquisas em História Ambiental da Unicentro, o Colóquio conta com apoio do Laboratório de Relações de Gênero, Família e Infância e do Instituto de Estudos de Gênero, ambos da Universidade Federal de Santa Catarina.
O evento tem uma programação diversificada e aborda questões como feminismo, gênero e violência, aborto, gênero e educação e sexualidades. Os discussões são realizadas em mesas-redondas, simpósios temáticos, mini-cursos e palestras. A programação contou ainda com a exibição de três filmes que tratam da questão de gênero em diferentes aspectos da sociedade, como a luta feminina por direitos, a transgeneridade e a luta pelos direitos dos homossexuais.
De acordo com o professor Jó Klanovicz, um dos coordenadores do evento, é importante que a questão de gênero seja trabalhada, não apenas na universidade, mas também nas escolas de educação básica, “Um dos pontos de partida fundamentais é que, atualmente, há um aumento da intolerância da sociedade em níveis jamais vistos dentro do Brasil, esse tipo de realidade tem feito com que as relações de gênero devam ser cada vez mais trabalhadas e que a academia se torne um elemento de resistência e de discussão do gênero”.

Professor Jó Klanovicz, um dos organizadores do Colóquio de Estudos e Gênero e História (Foto: Coorc)

Professor Jó Klanovicz, um dos organizadores do Colóquio de Estudos e Gênero e História (Foto: Coorc)

O evento contou com a participação de acadêmicos e professores da Unicentro, além de docentes de outras nove universidades do Brasil, como a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal do Acre (UFAC), Universidade Federal do Tocantins (UFT) e o Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ).
Para a professora Rosemeire dos Santos Brito, pesquisadora da área de gênero e educação da UFES, promover um evento nacional sobre as questões de gênero é muito importante para promover a valorização da diversidade. “Discutir gênero e educação, hoje, é mais do que fundamental para que a escola, em todos os níveis e modalidades de ensino, possa ser um espaço de respeito e acolhida de todas as pessoas, porque todas elas têm direito a educação”.
A palestrante Jessica Zanella afirma que a participação dos alunos nas mesas-redondas, mini-cursos e palestras é fundamental para compreendermos o momento que estamos vivendo, “Pensando na nossa conjuntura social e política, é interessante que se discutam as questões de gênero para o acadêmico entender o que são os debates, entender o que é o gênero e que não existe uma ideologia de gênero. O aluno, como agente produtor de conhecimento, deve compreender que esses debates fazem um bem pra sociedade”.

Fonte: Coorc Unicentro

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome