Terça Nobre abre Auditório Francisco Contini para os músicos de Guarapuava se apresentarem

0
106

Banda Municipal se apresenta na Terça Nobre (Foto: Coorc)

Banda Municipal se apresenta na Terça
Nobre (Foto: Coorc)

A Quinta Nobre, projeto de realização de noites musicais pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unicentro, passou, em 2016, a se chamar Terça Nobre. A primeira edição do ano manteve o objetivo de ser um espaço para que músicos de Guarapuava possam se apresentar e fez parte da programação em comemoração aos 26 anos da universidade. “A Terça Nobre surgiu de outras ações da Diretoria de Cultura para abrir o Auditório Francisco Contini para a música, com a participação tanto com músicos daqui mesmo, das oficinas do Unimúsica, como músicos da cidade”, explica Erica Dias Gomes, diretora de Cultura da Unicentro.
Entre as atrações estavam bandas da cidade, escolas de música de Guarapuava e alguns grupos formados por professores e funcionários da Unicentro. A Banda Municipal, que é coordenada pelo maestro Rodrigo Santos, abriu a noite de apresentações. “O convite surgiu do pessoal daqui da Unicentro, pra gente fazer essa apresentação, o que é extremamente importante, porque muitas pessoas do nosso município ainda não conhecem as culturas que nós temos aqui”.

Comunidade universitária também subiu ao palco (Foto: Coorc)

Comunidade universitária também subiu ao palco (Foto: Coorc)

Os estilos variados de músicas que compuseram a noite animaram a platéia. Pessoas como o Brayan Gonçalves, estudante de Publicidade e Propaganda, que prestigiou as apresentações. “Eu estou achando muito legal. É muito interessante a universidade inserir a cultura na sua rotina e oferecer isso para os estudantes e para os visitantes”.
Vanessa Barbosa veio como convidada pela escola de música onde estuda e gostou tanto que quer voltar nas próximas edições da Terça Nobre. “Com certeza! Sempre que tiver uma oportunidade, eu gosto de me apresentar. Pode me chamar que sempre estarei disposta!”, enfatiza.
Dizem que quem canta seus males espanta. Por isso, abrir espaços para que a música se propague dentro da universidade, é também abrir espaço para a libertação da alma. “Ser músico não é fácil, viver de música é muito difícil. Mas por outro lado, tira muita gente da miséria humana, da miséria da alma”, ressaltou Eliana Fialho, regente do Coral Unicanto.
As atividades em comemoração ao aniversário de 26 anos da Unicentro continuam até dezembro. Diversas ações serão realizadas nos campis Santa Cruz, Cedeteg e também em Irati. A maioria delas, como a Terça Nobre, vão seguir o viés cultural.

Confira a reportagem audiovisual sobre a Terça Nobre na Unicentro WebTV no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=s5qqHrd8G30

Fonte: Coorc Unicentro

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome