Exposição Animais na Pista pode ser conferida até essa sexta-feira

0
80

Um dos animais mortos em estradas brasileiras, num flagrante de Valdecir Pacheco (Foto: Acioli Caldas)

Um dos animais mortos em estradas brasileiras, num flagrante de Valdecir Pacheco (Foto: Acioli Caldas)

Todo motorista, principalmente os que dirigem pelas rodovias, sabem a quantidade de animais que são mortos por atropelamento nas estradas. Foi para alertar sobre o perigo dos animais na pista que Valdecir Pacheco, motorista há mais de vinte anos, começou a fotografar os bichos que encontra. “Foi um pouco para conscientizar e alertar os motoristas tanto do perigo para o ser humano, quanto para os animais. Eu acho que as pessoas que vem aqui, elas não têm ideia de quantos animais são atropelados nas BRs. Isso é pra chamar a atenção, para que as pessoas comecem a reparar”, explica.
Valdecir começou a fotografar aos dez anos, quando ganhou sua primeira máquina fotográfica. Uma de suas primeiras fotografias, ainda adolescente, foi de um tamanduá, que encontrou morto. Hoje, a motivação para montar a exposição, a partir de seu acervo de mais de 3.500 fotos, foi o impacto que as imagens podem causar. “Eu nunca tinha visto uma exposição com esse tema, e eu achei que poderia ser interessante. Fiquei com medo, em um primeiro momento, que poderia chocar, ter críticas negativas… Mas depois que eu fiz essa exposição eu vi que pode ter críticas positivas, que é um alerta aos motoristas sobre esse perigo”.

O motorista Valdecir Pacheco registrou os animais mortos em suas viagens pelo Brasil (Foto: Acioli Caldas)

O motorista Valdecir Pacheco registrou os animais mortos em suas viagens pelo Brasil (Foto: Acioli Caldas)

A Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unicentro (Proec) abraçou a ideia do Valdecir justamente por acreditar que temas como esse devem estar presentes na sociedade e na comunidade acadêmica. “Muitas vezes as pessoas gostam de ver o belo, mas você também tem que ver a realidade, através do trabalho artístico. Eu acho que é um alerta, porque isso acontece sempre. A gente quis retratar aqui a realidade das rodovias”, comenta Elizabete Lustoza, funcionária da Proec.
As fotografias, que chocam, são um retrato real das rodovias. Segundo o Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas, há cada segundo, quinze animais silvestres morrem atropelados, o que para Valdecir, é sempre algo triste. “Eu sempre fico triste. Eu tiro a fotografia por estar mais chocado, mas eu fico com muito dó, porque é um ser vivo que está ali”, finaliza.

Assista à reportagem em vídeo da exposição “Animais na Pista” na Unicentro WebTV: https://youtu.be/MMzjPz8uDxM

Fonte: Coorc Unicentro

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome