Consultor do MEC para Pacto de Direitos Humanos visita a Unicentro

0
3


Consultor do MEC para Pacto de Direitos Humanos visita a Unicentro

Consultor do MEC para Pacto de Direitos Humanos visita a Unicentro

Estimular o respeito à diversidade e o enfrentamento do preconceito, da discriminação e da violência. Esses são os objetivos do Pacto Universitário de Educação em Direitos Humanos – uma iniciativa conjunta dos Ministérios da Educação, o MEC, e da Justiça e Cidadania. A Unicentro aderiu a ação no final de 2016 e, desde então, desenvolve atividades visando a promoção dos direitos humanos entre a comunidade universitária e também junto a população das áreas onde atua.

Depois de dois anos, um dos consultores do Pacto no MEC, Vitor Alencar, visitou a universidade para conhecer algumas das ações de ensino, pesquisa, extensão e gestão desenvolvidas aqui como parte do Pacto. Agora, elas têm uma maior visibilidade, sistematização e a possibilidade da comunidade universitária não só enxergá-las mas, também, vê-las de uma forma articulada, dentro dos projetos pedagógicos e da implementação da função universitária em todos os seus eixos”.

E para supervisionar essas ações, a universidade organizou um Comitê Interno de Gestão do Pacto. Ele tem a função de realizar o planejamento institucional e trabalhar inicialmente com os projetos pedagógicos de cada curso ofertado pela instituição, com o intuito de desenvolver um indivíduo pleno como sujeito de direitos para que possa, também, reconhecer os direitos do outro. Segundo a professora Claudia Cabral Resende, membro do comitê, as ações na Unicentro foram criadas ou ampliadas em caráter emergencial, quando do comprometimento da instituição com as diretrizes do Pacto. Um exemplo é a Coordenadoria de Assistência Estudantil. “Contratação de mais intérpretes, equipes de psicólogos, assistentes sociais, que não havia antes e agora esses alunos estão sentido esse acolhimento. Nós percebemos uma mudança muito grande por parte deles, muitos elogios inclusive, claro que ainda é muito pouco, devido ao tamanho da instituição, mas já é um começo”, avalia.

i

Victor Alencar participou de reunião de apresentação de alguns projetos em direitos humanos desenvolvidos na Unicentro (Foto: Luiz Felipe Panozzo)

Nas reuniões do comitê, foram levantadas mais de vinte ações realizadas com foco em direitos humanos nos últimos dois anos. A 5. Siepe é um exemplo. A Semana de Integração Ensino, Pesquisa e Extensão, em 2017, teve como tema “Direitos Humanos: dialogando sobre a diversidade”. Foram mais de 6.000 alunos inscritos em todos os campi da universidade, debatendo pesquisas, ações de ensino e projetos de extensão sobre o tema. Essas e outras ações estão disponíveis na página do Pacto, no site da Unicentro.

Segundo a vice-coordenadora do comitê da Unicentro, Vanessa Rodrigues, para 2019 o plano é ampliar as ações e olhar para outras demandas da comunidade universitária. Pra isso, o grupo pretende criar um observatório de direitos humanos. “O Observatório tem como função inicial, a partir do mapeamento das câmaras temáticas, encontrar as demandas, encontrar outras questões que não identificamos ainda, trazer as atividades de extensão, ensino e pesquisa, que já vem ocorrendo, pra que elas possam visualizar também essas necessidades e quem sabe até atender as demandas permanentes”.

Para o vice-reitor da Unicentro, professor Osmar Ambrósio de Souza, a reunião possibilitou a realização de um inventário das ações da universidade que trabalham a igualdade. “Nessa reunião, houve a oportunidade de todas as ações estarem juntas, sendo discutidas, e um conhecendo exatamente o que o outro esta fazendo. Nós vemos como um ponto extremamente positivo no sentido desse redirecionamento da universidade para as ações de direitos humanos, para que ela se torne mais efetiva”, afirma.



Fonte

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome