Centro Acadêmico de Fisioterapia doa alimentos para a Associação Canaã

0
4


Abordagem fisioterapêutica para o tratamento de disfunções craniofaciais. A recuperação do paciente neurológico. Dores de cabeça. Emoções interferindo em sintomas físicos. Fisioterapia em oncologia. O papel do fisioterapeuta no parto. Prescrição clínica do exercício. Reabilitação de lesões em corredores. Esses foram os temas abordados por profissionais, pesquisadores e professores de várias partes do Brasil durante suas palestras no I Congresso Nacional Online de Fisioterapia, promovido nesse mês de junho pelo Centro Acadêmico de Fisioterapia da Unicentro.

“Nosso congresso foi realizado por 12 estudantes, que é a composição do Centro Acadêmico e, aí, a gente divulgou para todos os alunos para que eles se inscrevessem. A gente teve uma adesão muito grande. Não foi somente aqui da nossa universidade. Porque como foi um evento aberto, a gente conseguiu inscritos de Minas Gerais, inscritos de Brasília, inscritos do Pará, do próprio Sul – do Rio Grande, de Santa Catarina e aqui do Paraná. A gente conseguiu inscritos de 16 estados aqui do país”, conta a presidente do CA Hellen Gonçalves da Rosa, que é aluna do quarto ano de Fisioterapia.

Um congresso feito por estudantes para estudantes, como a Fernanda Aparecida Penteado, que cursa o 3. ano de Fisioterapia na Unicentro. Ela aprovou a iniciativa do Centro Acadêmico, ao promover debates atuais de modo remoto. Para ela, assim, mesmo distantes fisicamente, os alunos tiveram a oportunidade de estar perto de colegas de Unicentro e de outras instituições de ensino superior. Isso sem falar na possibilidade de pensar a prática profissional a partir da visão de profissionais de outras partes do país.

“Eu adorei a iniciativa do Centro Acadêmico de promover esse congresso on-line, porque com certeza nossas rotinas dentro da universidade mudaram desde março. Esse congresso pode trazer vários profissionais de renome que a gente, provavelmente, não teria condições de reunir em um congresso presencial. Foi uma forma de agregar conhecimento nesse período conturbado e distrair ainda a nossa cabeça. Foi isso que me fez ter interesse em participar”, relata Fernanda.

Todo valor arrecadado com as inscrições foi revertido para a Associação Canaã, através da compra de produtos alimentícios e de higiene pessoal (Foto: arquivo pessoal)

Para participar, cada congressista pagou uma taxa de inscrição no valor de 10 reais. A todo o recurso arrecadado foi revertido para a compra de produtos alimentícios e de higiene pessoal. Dessa maneira, de acordo com a presidente do Centro Acadêmico, “foram comprados 20 litros de óleo, 96 litros de leite, 128 rolos de papel higiênico, 12 quilos de manteiga, dois quilos de milho, seus quilos de maionese, 25 quilos de trigo, 30 quilos de bolacha, 20 quilos de café, dois quilos de achocolatado, 10 quilos de doce de leite, 30 quilos de açúcar, 20 quilos de macarrão, 27 quilos de massa de tomate e 50 quilos de arroz. Ainda foram arrecadados, foram comprados 25 cremes dentais e 40 sabonete”.

Todos esses produtos foram doados para a Associação Canaã de Proteção à Criança e ao Adolescente de Guarapuava, que está instalada na Colônia Cachoeira, no distrito de Entre Rios. A entidade, no momento, acolhe 20 meninas e meninos. Em seus 45 anos de existência, o Canaã já atendeu mais de 350 crianças e adolescentes. Esse olhar social dos estudantes organizadores também foi aprovado pelos participantes, que ajudaram a entidade ao pagar a inscrição. “Eu achei muito interessante que o valor das inscrições foi revertido. Porque era já um valor barato, 10 reais. Para quem se inscreveu não pesou em pagar mas, juntando essa quantia, pode fazer a diferença nessa instituição. Então, uniu duas coisas boas, o congresso e essa parte da ajuda”, avalia Fernanda.



Fonte

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome