Operários portugueses ajudaram a construir o túnel do São Gotardo

0
84

A contribuição portuguesa para construir a chamada "obra do século": 8% dos operários vieram de Portugal. Porém nenhum deles sofreu acidentes mortais, como mostram as estatísticas.

Trabalho sob duras condições: armações de aço para segurar as rochas em projeto de construção de túnel. (Keystone)

Trabalho sob duras condições: armações de aço para segurar as rochas em projeto de construção de túnel.

(Keystone)

Durante dezessete anos gastos para construir o túnel básico do São Gotardo, aproximadamente 2.600 operários, engenheiros e outros funcionários trabalharam nos vários canteiros de obras, tanto em superfície como nos túneis.

Como em outras grandes construções na Suíça, uma grande parte dos trabalhadores eram estrangeiros. A maioria veio da Itália (22%), depois Áustria (20%), Alemanha (20%) e, em quarto lugar, Portugal (8%). Apenas 15% eram suíços.

O trabalho de perfurar o túnel, muitas vezes mais de dois mil metros abaixo da superfície, foi perigoso e duro. As temperaturas chegavam muitas vezes a 46 graus. Porém as autoridades velaram pelas condições e controlavam para que equipamentos especiais de refrigeração garantissem temperaturas não mais elevadas do que 28 graus.

Em 2014, a swissinfo.ch visitou o canteiro de obras e entrevistou operários portugueses.

Impressões do túnel do Gottardo


swissinfo.ch desce ao túnel do Gottardo para encontrar operários de todas as partes do mundo, inclusive portugueses e angolanos. Reportagem em …

Sociedade

Ciência

Lazer

Em 31 de maio de 2016, um dia antes da inauguração oficial do túnel, representantes das empresas construtoras e dos escritórios de engenharia homenagearam os nove funcionários que perderam a vida em acidentes durante as obras ao desvelar uma placa de bronze com seus nomes no portal norte, em Erstfeld.

Os acidentes ocorreram entre 2002 e 2012. Quatro dos operários falecidos eram alemães, três eram italianos, um da África do Sul e outro da Áustria. Nenhum operário português foi vitimado.

E aqui, a reação da imprensa lusófona à inauguração do túnel de base do São Gotardo.


France's President François Hollande, Germany's Chancellor Angela Merkel and Switzerland's President Johann Schneider-Ammann after travelling through the Gotthard Rail Tunnel (Reuters)

Press review

Mídia lusófona destaca inauguração do túnel do Gotardo

Por Alexander Thoele


Na manhã após a abertura oficial do túnel de base do Gotardo, o mais longo do mundo, a mídia lusófona faz comentários e destaca o que muitos …


especiais: O túnel do São Gotardo

Outra língua: 1

Os operários portugueses e outros estrangeiros deveriam ser mais lembrados nas comemorações? Dê sua opinião.

Fonte: Rádio Swiss Info

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome