Animais utilizados na propaganda política

0
136

Protesto de agricultores frente ao Palácio Federal, Berna, 3 de dezembro de 2009.

Protesto de agricultores frente ao Palácio Federal, Berna, 3 de dezembro de 2009.

Manifestante fantasiado posa ao lado de policial no Fórum Econômico Mundial, em Davos. em 2010.

Manifestante fantasiado posa ao lado de policial no Fórum Econômico Mundial, em Davos. em 2010.

Membros do sindicato Unia protestam em 2012 em uma praça de Zurique contra os "tubarões" das finanças.

Membros do sindicato Unia protestam em 2012 em uma praça de Zurique contra os "tubarões" das finanças.

Ativistas do grupo de ambientalistas WWF durante a campanha "Volta do salmão" no rio Reno. (Photopress/WWF/Thomi Studhalter)

Ativistas do grupo de ambientalistas WWF durante a campanha "Volta do salmão" no rio Reno. (Photopress/WWF/Thomi Studhalter)

Entrega das assinaturas para a iniciativa popular "Por um seguro de saúde público", em Berna, 2012.

Entrega das assinaturas para a iniciativa popular "Por um seguro de saúde público", em Berna, 2012.

Entrega das assinaturas para a iniciativa popular "Correios para todos", Berna, 2012.

Entrega das assinaturas para a iniciativa popular "Correios para todos", Berna, 2012.

Membro do Greenpeace demonstra em 2013 em Zurique contra as atividades das petroleiras no Ártico.

Membro do Greenpeace demonstra em 2013 em Zurique contra as atividades das petroleiras no Ártico.

Ativistas da campanha pela iniciativa popular "Sim, para taxas públicas mais baratas" em Zurique, 15 de abril de 2015.

Ativistas da campanha pela iniciativa popular "Sim, para taxas públicas mais baratas" em Zurique, 15 de abril de 2015.

A organização suíça de proteção aos animais "Kagfreiland" protesta em 7 de junho de 2005 em Berna.

A organização suíça de proteção aos animais "Kagfreiland" protesta em 7 de junho de 2005 em Berna.

1.600 pandas, assim tanto como os que vivem na natureza, em Genebra: protesto organizado pela WWF em setembro de 2011. (Photopress/WWF/Mamco)

1.600 pandas, assim tanto como os que vivem na natureza, em Genebra: protesto organizado pela WWF em setembro de 2011. (Photopress/WWF/Mamco)

Elefante de papel maché em 2004 na praça Paradaplatz em Zurique, em protesto organizado pela WWF. 

Elefante de papel maché em 2004 na praça Paradaplatz em Zurique, em protesto organizado pela WWF.

Membros do grupo "Uma Suíça sem Exército" (GSOA) criticam os gastos elevados das forças armadas. Berna, 15 de abril de 2013.

Membros do grupo "Uma Suíça sem Exército" (GSOA) criticam os gastos elevados das forças armadas. Berna, 15 de abril de 2013.

Ueli Maurer, presidente do Partido do Povo Suíço (UDC, na sigla em francês) apresenta o mascote, Höri, cantão de Zurique, 4 de maio de 2007.

Ueli Maurer, presidente do Partido do Povo Suíço (UDC, na sigla em francês) apresenta o mascote, Höri, cantão de Zurique, 4 de maio de 2007.

Greenpeace luta em Lausanne contra a destruição da floresta tropical para a produção de óleo de palma, em 15 de abril de 2011.

Greenpeace luta em Lausanne contra a destruição da floresta tropical para a produção de óleo de palma, em 15 de abril de 2011.

Animais funcionam quase sempre na política. Eles chamam a atenção até nos comerciais. E assim fazem parte também do jogo democrático. O porco rosa das fazendas locais ou orangotango das florestas tropicais: animais portam mensagens ou provocam emoções na arena política da Suíça. Mas não é só isso…

Dois carregadores levam um orangotango. E isso frente ao Museu Olímpico de Lausanne. O que aconteceu? Eram dois policiais que levavam manifestantes. Ou era uma mulher fantasiada?

O contexto: as pessoas fantasiadas protestavam durante uma assembleia de acionistas da Nestlé, argumentando que a multinacional é responsável pela destruição das florestas tropicais da Indonésia, o espaço natural dos primatas.

Sejam ONGs ou grupos de protesto: animais ajudam a reforçar a mensagem a ser transmitida. Eles são o truque mágico da comunicação política: animais que espantam, encantam ou distraem.

(Imagens: Keystone e outros. Texto: Renat Künzi)

Fonte: Swiss Info

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome