Reino Unido não quer virar as costas para a Europa, diz Cameron

0
34
  • Tweeter

Brexit

União Europeia

Reino Unido

Reino Unido não quer virar as costas para a Europa, diz Cameron

Por

RFI

mediaDavid Cameron está em Bruxelas para apresentar posição do Reino Unido aos líderes europeus após o referendo sobre o Brexit.
REUTERS/Phil Noble

Os chefe de Estado e de governo da União Europeia (EU) estão reunidos em Bruxelas nesta terça-feira (28) para discutir o futuro das relações do bloco com o Reino Unido após o referendo sobre a permanência do país do no grupo. Antes mesmo da reunião, o primeiro-ministro britânico David Cameron disse que gostaria de manter uma relação de proximidade com seus “amigos e parceiros”.

Os líderes europeus discutem as modalidades do saída dos britânicos do bloco, qual será o status do Reino Unido a partir de agora e o futuro das relações de Bruxelas com Londres após a conclusão do “divórcio”, o primeiro da história do bloco que vai passar de 28 para 27 países. Pela manhã, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, pediu ao governo britânico que "esclareça o mais rápido possível" a situação após o Brexit, ao afirmar que a UE não pode passar por "uma incerteza prolongada".

No entanto, mesmo se Bruxelas pressiona Londres a se posicionar rapidamente sobre as condições de sua saída do bloco, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, que defendia a permanência do país no grupo, não parece disposto a uma ruptura precipitada. Ao chegar em Bruxelas, onde participa na noite desta terça-feira de um jantar durante o qual deve apresentar sua posição sobre o assunto, o premiê já deu algumas declarações que mostram a resistência a uma ruptura total do país com o grupo. “A Grã-Bretanha vai deixar a União Europeia, mas quero que esse procedimento seja o mais construtivo possível e que o resultado também seja construtivo”, disse Cameron.

“Mesmo se estamos deixando a UE, não estamos dando as costas para a Europa. Os membros do bloco continuam sendo nossos vizinhos, nossos amigos, nossos aliados e parceiros. Queremos manter com eles uma relação estreita em termos de comércio, de cooperação e de segurança, pois isso seria bom para eles e bom para nós”, completou o premiê.

Enquanto isso, em Londres, avançam as discussões sobre a substituição de Cameron, que informou, um dia após o referendo, que deixaria o cargo. O substituto do primeiro-ministro será anunciado em 9 de setembro, informou nesta terça-feira o Partido Conservador, enquanto a oposição trabalhista entrou numa verdadeira guerra com uma moção de censura contra o seu líder, Jeremy Corbyn, que, no entanto, recusou-se a renunciar.

O substituto de Cameron será, a princípio, responsável por apresentar à União Europeia o pedido oficial de saída do bloco.

  • Tweeter

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome