Oito meses após atentados, desfile do 14 de Julho tem segurança reforçada

0
37
  • Tweeter

França

14 de Julho

Desfile

Terrorismo

Oito meses após atentados, desfile do 14 de Julho tem segurança reforçada

Por

RFI

mediaOito aeronaves Alphajet emanaram fumaça com as cores da bandeira da França: azul, branco e vermelho, durante o desfile do 14 de Julho.
REUTERS/Benoit Tessier

O tradicional desfile do 14 de Julho, a festa nacional da França, aconteceu sob um forte dispositivo de segurança, oito meses após os atentados de 13 de novembro em Paris. O evento também fez um apelo ao engajamento militar dos jovens franceses.

Com cerca de 11.500 policiais e soldados nas ruas, devido à ameaça de atentados, o tradicional desfile militar de 14 de julho atraiu milhares de pessoas para a famosa avenida Champs Elysées, no centro de Paris. A multidão começou a chegar cedo, principalmente turistas e muitas famílias com crianças.

Para chegar às arquibancadas montadas ao longo da avenida Champs-Elysées, era preciso passar pelo forte esquema de segurança. As lixeiras próximas ao local do desfile foram bloqueadas, garrafas de água e guarda-chuvas foram proibidos. Mas a revista policial e os detectores de metais não desencorajaram os franceses. O público apreciou a distribuição de bandeiras do país por soldados.

Último 14 de Julho de Hollande

Além do presidente François Hollande e todo o governo francês, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o primeiro-ministro neozelandês, John Key, participaram da cerimônia. O evento também ficou marcado como o último do mandato de Hollande.

Sob um céu cinza, o presidente francês fez a tradicional revista de tropas no Arco do Triunfo, às 10h locais (5h pelo horário de Brasília), em companhia do chefe do Exército, o general Pierre de Villiers. Em seguida, Hollande desceu a avenida Champs-Elysées, de carro, até a praça da Concorde, onde foi acolhido pelo primeiro-ministro Manuel Valls, e o ministro da Defesa, Jean-Yves Le Drian. Depois, o chefe de Estado assistiu ao desfile na tribuna oficial.

Homenagem à Austrália e Nova Zelândia

Mais de 3.200 homens e mulheres militares participaram da marcha, que contou também com 55 aviões, 30 helicópteros, 212 veículos, 236 cavalos e 36 cachorros. Australianos e neozelandeses foram os convidados de honra este ano.

Em um momento-chave do desfile, seis guerreiros maoris da Nova Zelândia desfilaram em trajes tradicionais e exibindo lanças, com o torso nu e os pés descalços, apesar dos 15°C graus na capital francesa.

O evento homenageou todas as formas de atividade de defesa do país, militares, civis, serviços secretos e reservistas e fez um apelo por um maior engajamento militar dos jovens franceses. Novos recrutas foram homenageados e jovens marinheiros, paraquedistas, soldados e alunos da Aeronáutica desceram, sob aplausos, os 1.200 metros da avenida Champs Elysées.

Outro momento muito aguardado foi o desfile aéreo. Oito aeronaves Alphajet da patrulha francesa emanaram fumaça com as cores da França: azul, branco e vermelho.

O evento também teve novidades. Pela primeira vez, a administração penitenciária participou do desfile.

No ato final da cerimônia, a Marselhesa, o hino nacional da França, foi interpretada por 460 estudantes.

  • Tweeter

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome