Macri pede que França seja mais flexível nas negociações com Mercosul

0
38
  • Tweeter

Mauricio Macri

Angela Merkel

Mercosul

Macri pede que França seja mais flexível nas negociações com Mercosul

mediaO presidente argentino Mauricio Macri encontrou a chanceler alemã Angela Merkel em Berlim.
REUTERS/Axel Schmidt

O presidente argentino, Mauricio Macri, disse nesta terça-feira (5), em Berlim, que os membros do Mercosul estão dispostos a avançar nas negociações com a União Europeia. Macri pediu que a França flexibilize sua posição em relação à agricultura.

“Tanto a Argentina como todos os integrantes do Mercosul estão dispostos a avançar e claramente no capítulo que apresenta mais complexidade, o agrícola. Precisamos que a França flexibilize suas posições, mas confio na liderança da Alemanha”, disse Macri.

A resistência dos agricultores franceses é o principal entrave para o acordo entre Mercosul e União Europeia, que se arrasta por anos. Macri também disse querer avançar em um tema “estritamente argentino”, a exportação de biodiesel para a União Europeia.

A chanceler alemã, Angela Merkel, foi menos otimista, dizendo que não se pode esperar que os temas pendentes sejam resolvidos em “duas semanas”, depois de anos de paralização nas negociações. “Vai levar tempo”, ponderou Merkel.

Déficit da agricultura europeia é de € 20 bi

A líder alemã também disse que a agricultura não é um tema delicado apenas para a França, mas também para outros países europeus. Em abril, a França – primeira potência agrícola europeia – liderou cerca de 20 países em um bloco para pedir à Comissão Europeia um estudo de impacto de um eventual acordo comercial com o Mercosul na agricultura.

Esses países advertiram que incluir “produtos sensíveis” poderia trazer repercussões em todas as negociações comerciais da UE, em particular na que está em curso com os Estados Unidos. Metade das importações europeias provenientes do Mercosul correspondem a produtos agrícolas, setor em que o déficit comercial da UE chega a € 20 bilhões.

  • Tweeter

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome