Justiça francesa pede indiciamento de dois cúmplices em morte de policial

0
45
  • Tweeter

Assassinato

Terrorismo

Polícia

Justiça francesa pede indiciamento de dois cúmplices em morte de policial

Por

RFI

mediaO presidente François Hollande se inclina diante do caixão do policial assassinado durante cerimônia em Versalhes.
Foto: Reuters

O Ministério Público de Paris anunciou neste sábado (18) que dois supostos cúmplices do jihadista francês Larossi Abballa, que matou um casal de policiais na segunda-feira (13), perto de Paris, foram encaminhados à justiça antiterrorista.

Os dois homens, Saad Rajraji e Charaf-Din Aberouz, de 27 e 29 anos, deverão ser processados por participação em uma associação de criminosos terroristas. A decisão será tomada pelo juíz responsável pelo caso.

Aberouz e Rajrari foram condenados, em 2013, junto com Abballa, em um processo sobre recrutamento de combatentes enviados ao Paquistão. Em comunicado, a promotoria informou que solicitou a prisão preventiva dos dois suspeitos. Eles estavam sob custódia da polícia desde terça-feira (14). Um terceiro suspeito foi libertado sem ser processado.

Abballa reivindicou o assassinato do policial francês Jean-Baptiste Salvaing e de sua companheira, Jessica Schneider, em nome do grupo terrorista Estado Islâmico (EI). As vítimas foram mortas em casa, no oeste de Paris, diante do filho de 3 anos. O casal foi esfaqueado. O suspeito foi preso depois de ser baleado por uma unidade de elite da polícia.

O jihadista afirmou ter declarado lealdade ao EI três semanas antes do crime. Os investigadores tentam estabelecer se Abballa, de 25 anos, beneficiou de cumplicidade na preparação e execução dos assassinatos.

Este foi o primeiro ataque com vítimas fatais na França desde os atentados em Paris, em novembro de 2015, que deixaram 130 mortos. O procedimento do jihadista corresponde a recomendações feitas recentemente pelo EI. A organização terrorista incentiva seus simpatizantes a agir sozinhos, para matar policiais, militares e jornalistas, no caso específico da França, não importa com que tipo de arma.

  • Tweeter

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome