IRAQUE/SíRIA: Porta-aviões francês começa a bombardear posições do Estado Islâmico

0
53

Iraque/Síria –

Artigo publicado em 23 de Novembro de 2015 –
Atualizado em 23 de Novembro de 2015

Porta-aviões francês começa a bombardear posições do Estado Islâmico

O porta-aviões nuclear francês Charles de Gaulle embarcou 2 mil militares e 26 aviões de caça para a operação contra o EI no Mediterrâneo oriental.O porta-aviões nuclear francês Charles de Gaulle embarcou 2 mil militares e 26 aviões de caça para a operação contra o EI no Mediterrâneo oriental. REUTERS/Jean-Paul Pelissier

Os caça-bombardeiros do porta-aviões francês "Charles de Gaulle" entraram nesta segunda-feira (23) pela primeira vez em ação desde sua recente mobilização no Mediterrâneo oriental, bombardeando posições do grupo Estado Islâmico (EI) no Iraque. "Bombardeamos Ramadi e Mossul em apoio às forças que avançavam contra tropas do Daesh [nome em árabe do EI]", afirmou o general Pierre de Villiers, chefe do Estado-Maior, a bordo do porta-aviões.

A França conta agora com 38 aviões de caça na região para combater o grupo ultrarradical islâmico, que reivindicou os atentados de 13 de novembro em Paris. Os ataques à casa de espetáculos Bataclan, restaurantes e cafés da zona leste parisiense deixaram 130 mortos e mais de 350 feridos. O custo de uma hora de intervenção do porta-aviões Charles de Gaulle custa cerca de 50 mil euros aos contribuintes franceses.

Em busca de uma coalizão para destruir a facção terrorista, o presidente francês, François Hollande, recebeu hoje o apoio do primeiro-ministro David Cameron. O Reino Unido disponibilizou para os franceses uma base militar britânica localizada na ilha de Chipre. Ao longo da semana, Hollande ainda vai se reunir com os presidentes dos Estados Unidos, Rússia e China, além da chanceler alemã, Angela Merkel.
A maratona diplomática do líder francês coincide com uma visita do presidente russo, Vladimir Putin, nesta segunda-feira, ao Irã. Moscou e Teerã combatem o EI, mas, ao contrário dos ocidentais, procuram salvar o regime de Bashar al-Assad, que enfrenta há mais de quatro anos uma complexa guerra civil.

Putin no Irã

Putin e o Guia Supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, destacaram a "unidade de pontos de vista entre Moscou e Teerã" sobre a Síria, segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov. "As duas partes destacaram a unidade de pontos de vista entre Moscou e Teerã sobre o caráter inadmissível das tentativas exteriores de ditar alternativas para uma solução política" para o conflito na Síria.

Teerã recebeu nesta segunda-feira a cúpula do Fórum dos Países Exportadores de Gás (FPEG), na qual estavam presentes o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e da Bolívia, Evo Morales, entre outros líderes.

Com informações da AFP

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome