Homem de 73 anos seria “principal amante” do terrorista de Nice

0
171
  • Tweeter

Atentado em Nice

Terrorismo

Homem de 73 anos seria “principal amante” do terrorista de Nice

Por

RFI

mediaMohamed Lahouaiej-Bouhlel.
DR

Os interrogatórios da polícia francesa junto a pessoas próximas a Mohamed Lahouaiej Bouhlel revelam um comportamento sexual agressivo. Entre as muitas conquistas do homem de 31 anos que atropelou uma multidão em Nice, no dia 14 de julho, estão diversas mulheres e homens. Segundo o jornal Le Parisien, um homem de 73 anos foi descrito pela polícia como “seu principal amante”.

Os contatos das mulheres e homens com quem o tunisiano se relacionava foram encontrados em seu telefone celular. Ainda segundo o jornal, os investigadores da Direção Central da Polícia Judiciária teriam identificado rapidamente, através dos depoimentos, uma “propensão à sedução” em Bouhlel.

Poucos meses antes do que teria sido seu processo de radicalização religiosa, ele era conhecido por paquerar “de forma agressiva” as frequentadoras de uma academia de ginástica, onde fazia aulas de salsa.

Bouhlel é descrito por muitos como “obcecado” por sua aparência física desde a infância. Praticava esportes, consumia muitos anabolizantes e tirava selfies. Os depoimentos colhidos pela polícia definem o comportamento sexual do terrorista como “desenfreado”. “Homens, mulheres, jovens, velhos. O apetite sexual de Mohamed Lahouaiej Bouhlel não tinha limites”, afirma a revista semanal L’Obs.

Em um dos depoimentos, uma mulher de 33 anos descreve o assédio de Bouhlel: “Ele me contatou no Facebook dizendo ter me visto dançar salsa. Disse que eu dançava bem, que tinha um corpo bonito”. Os dois frequentavam a salsa no Studios de la Victorine, em Nice.

“Não fui a única que ele abordou pelas redes sociais, mas o estranho é que, quando nos encontrávamos ao vivo, ele falava pouco, ficava num canto”. Mesmo assim, ela aceitou um convite de Bouhlel para dançar: “Foi horrível, ele dançava mal, tinha um olhar de louco e fazia gestos bruscos. Logo vi que não era um cara muito normal, era o tipo de pessoa de quem se deve fugir”.

Ursos de pelúcia

Antes de se separar da mulher, Bouhlel vivia em uma cidade na periferia de Nice. Segundo vizinhos, ele não frequentava a mesquita e bebia cerveja. Sua mulher pediu o divórcio após uma briga violenta. Ele se mudou para um apartamento em um bairro popular no leste de Nice, menos de um ano e meio antes do atentado.

Relatando ter sido vítima de violência doméstica diversas vezes, sua ex-mulher disse à polícia que não observou nenhum sinal de radicalização nos momentos em que encontrava Bouhlel para que ele visitasse os filhos.

Mas o motorista de caminhão já era conhecido da polícia. No último dia 24 de março, foi condenado a seis meses de prisão, com liberdade condicional, por violência voluntária cometida em janeiro, após uma briga de trânsito.

Vizinhos de Bouhlel no edifício Le Bretagne descrevem um homem desequilibrado. “Ele tinha crises. Quando se separou da mulher, ele defecou em vários locais e destruiu os ursos de pelúcia de sua filha a golpes de faca”, conta um vizinho.

  • Tweeter

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome