Homem com metralhadora falsa causa pânico em bares de Paris

0
78
  • Tweeter

França

Paris

Terrorismo

Homem com metralhadora falsa causa pânico em bares de Paris

Por

RFI

mediaFachada do restaurante le Carillon, no 10° distrito de Paris, um dos alvos dos terroristas do 13 de novembro.
Thomas Oliva/AFP

Um homem gerou pânico ameaçando frequentadores de bares e restaurantes do centro de Paris com um falso fuzil automático. Segundo a polícia, o agressor é uma pessoa "psicologicamente instável".

O incidente aconteceu na noite da última quarta-feira (22). Um homem chegou com o rosto coberto e exibindo uma arma semelhante a um fuzil Kalachnikov na calçada de cafés e restaurantes da praça Thorigny, no bairro do Marais. Segundo testemunhas, ele teria ameaçado atirar nos clientes dos estabelecimentos.

Por volta das 23h30 local, a polícia recebeu uma ligação alertando para a presença de um homem armado pronto para promover um tiroteio no 3° distrito de Paris. Quando chegaram ao local, os policiais deram ordem ao agressor de colocar a arma no chão. O homem obedeceu e foi rapidamente imobilizado.

A polícia verificou que o fuzil era falso e deteve o agressor. Ao ser interrogado, o homem não explicou o ato. Ele foi levado a um posto psiquiátrico da polícia parisiense para que seu comportamento fosse analisado. Logo depois, autoridades informaram que o detido "é psicologicamente instável". A identidade dele não foi divulgada. O que se sabe é que ele tem 27 anos e é de origem oriental.

"Momento de horror"

Várias pessoas estavam no local do falso ataque, uma praça conhecida pela alta frequentação em um dos bairros mais movimentados de Paris. Segundo um proprietário de um dos restaurantes visados pelo agressor, os clientes viveram "um momento de horror". "Muitas pessoas saíram correndo, outros se esconderam atrás do bar, meus garçons se trancaram com vários clientes no primeiro andar do restaurante", disse.

Segundo a polícia, depois de prender o falso terrorista, os bombeiros foram chamados para prestar atendimento às pessoas. "Duas mulheres grávidas estavam em estado de choque", declarou uma fonte policial ao jornal Le Parisien.

O incidente acontece a apenas sete meses dos atentados de 13 de novembro em Paris, quando um comando de três jihadistas realizaram um violento massacre em bares e restaurantes do 10° e 11° distrito da capital francesa, matando 39 pessoas com tiros de metralhadora. No mesmo momento, dois outros grupos atacavam a sala de show Bataclan e o Stade de France, deixando no total 130 mortos.

  • Tweeter

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome