Espanha vai às urnas novamente, agora sob o impacto do Brexit

0
38
  • Tweeter

Espanha

Eleição

Espanha vai às urnas novamente, agora sob o impacto do Brexit

mediaREUTERS/Andrea Comas

Os espanhois vão às urnas neste domingo (26) repetir as eleições legislativas do último mês de dezembro que resultaram em um impasse. Em seus discursos finais de campanha na noite de sexta-feira, a maioria dos candidatos fez referência ao Brexit.

A saída do Reino Unido da União Europeia impactou em cheio o fim da campanha eleitoral. "É particularmente importante transmitir uma mensagem de estabilidade institucional e econômica. Não são momentos para alimentar ou adicionar incerteza", advertiu o chefe do governo conservador, Mariano Rajoy.

Rajoy, no poder desde o final de 2011, cuidou para não nomear diretamente o Podemos, mas outros líderes de sua formação, o Partido Popular, se encarregaram de fazê-lo. "Existem movimentos eurocéticos não só na direita, mas também na esquerda", afirmou o ministro de Assuntos Exteriores, José Manuel García Margallo.

"O Podemos disse milhares de vezes que teria que abandonar o euro porque não podíamos viver com a política de austeridade que em seu julgamento supõe a participação de uma união monetária", acrescentou Margallo.

Podemos nega euroceticismo

Pouco depois, o PP lançava um novo vídeo eleitoral com imagens de arquivo do líder do Podemos, Pablo Iglesias, chamando a "tomar o controle da política monetária". U Uma porta-voz do Podemos, contatada pela agência AFP, explicou que eram palavras pronunciadas em um programa de televisão em outubro de 2013, antes da criação do partido em janeiro de 2014.

Hoje é "um dia triste para a Europa. Devemos mudar o rumo. De uma Europa justa e solidária ninguém quer sair. Temos que mudar a Europa", escreveu Iglesias no Twitter. Ainda não se sabe o impacto real do Brexit nos 36 milhões de eleitores convocados às urnas no domingo.

Na opinião do cientista político Pablo Simón, da Universidade Carlos III, uma situação de incerteza "tende a favorecer o partido no governo". Entretanto, Sara Morais do instituto de pesquisas GAD3 considera que o Brexit pode reforçar a polarização, beneficiando o Podemos e o PP.

Cenário

As eleições legislativas de dezembro resultaram em um parlamento fragmentado entre quatro grandes formações: o Partido Popular (PP) de Mariano Rajoy, os socialistas, o Podemos e o liberal Ciudadanos. Como nenhum deles conseguiu formar um governo, o impasse político levou o rei Felipe VI e convocar novas eleições.

A campanha para as legistlativas então recomeçou. O PP estaria na liderança das intenções de votos, com 28% segundo as pesquisas, e tenta recuperar os votos cedidos em dezembro para o Ciudadadanos. Na esquerda, o Unidos Podemos, nova coalizão formada por Podemos e Izquierda Unida, ganha terreno sobre o tradicional Partido Socialista, que poderá ceder a eles o lugar de segunda força política do país.

  • Tweeter

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome