Cameron passará cargo de primeiro-ministro a Theresa May na quarta-feira

0
58
  • Tweeter

Reino Unido

David Cameron

Theresa May

Cameron passará cargo de primeiro-ministro a Theresa May na quarta-feira

mediaDavid Cameron retorna à residência oficial do primeiro-ministro após fazer o anúncio.
REUTERS/Peter Nicholls

A atual ministra do Interior do Reino Unido, Theresa May, se tornará a nova primeira-ministra britânica na próxima quarta-feira (13), depois que sua única rival deixou a disputa pelo cargo. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (11) pelo atual chefe de governo, David Cameron.

"Teremos uma nova primeira-ministra neste prédio atrás de mim na noite de quarta-feira", disse Cameron aos jornalistas posicionados diante de sua residência em Downing Street, acrescentando que mantém sua última sessão de perguntas como primeiro-ministro no Parlamento na quarta-feira, antes de se reunir com a rainha Elizabeth II para renunciar.

A retirada da candidatura de Andrea Leadsom a líder do Partido Conservador na manhã de segunda-feira acelerou o processo de sucessão. Leadsom era a única rival de May na disputa interna. Caso as duas permanecessem nas primárias, seria necessária uma votação entre os 150 mil militantes do partido, o que só aconteceria no mês de setembro.

David Cameron havia anunciado que deixaria o cargo logo após a divulgação do resultado do plebiscito sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, no dia 24 de junho. A vitória pela saída inviabilizou a permanência do chefe de governo, que era pela permanência. Cameron disse hoje ter total confiança e que vai apoiar a nova chefe de governo.

Sem brexiters no poder

Em seu anúncio, após a votação, em junho, de que deixaria o governo, David Cameron deu a entender que somente um político que tivesse apoiado o Brexit poderia agora conduzir o processo de saída do Reino Unido da União Europeia. Tudo apontava, portanto, para a ascensão de líderes conservadores do Brexit, como Boris Johnson.

O processo interno de seleção dos tories acabou levando à fase final Theresa May – que foi contra o brexit – e Andrea Leadsom, que apoiou a saída. May, uma eurocética que passou para o campo dos partidários por se manter na UE durante a campanha para o referendo, indicou mais cedo nesta segunda-feira que respeitará a vitória dos pró-Brexit, deixando poucas esperanças para aqueles que pedem uma segunda consulta sobre a UE.

"Não poderia ser mais clara: não haverá uma tentativa para permanecer na UE", declarou nesta segunda-feira pela manhã em uma declaração realizada em Birmingham (centro da Inglaterra). "Brexit significa Brexit" e "nós faremos isso com êxito", insistiu ela, que se converterá na segunda mulher a assumir o cargo de primeiro-ministro do país.

Representante do UKIP, um dos partidos eurocéticos mais radicais do Reino Unido, o eurodeputado Nigel Farage se disse “desapontado” com a desistência de Leadsom. Pela manhã, ele havia declarado seu apoio à candidatura da conservadora “porque o próximo primeiro-ministro deve ser um brexiter”.

Disappointed that @andrealeadsom has decided to withdraw from the Conservative leadership contest.

— Nigel Farage (@Nigel_Farage) 11 juillet 2016

  • Tweeter

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome