BéLGICA/TERRORISMO: Diante do risco de atentados, Bruxelas segue sob alerta máximo

0
32

Bélgica/Terrorismo –

Artigo publicado em 22 de Novembro de 2015 –
Atualizado em 22 de Novembro de 2015

Diante do risco de atentados, Bruxelas segue sob alerta máximo

Forças de ordem patrulham as ruas da capital Bruxelas desde sábado, 21 de novembro.Forças de ordem patrulham as ruas da capital Bruxelas desde sábado, 21 de novembro. JOHN THYS/AFP

RFI

O primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, informou na noite deste domingo (22) que o alerta máximo antiterrorista será mantido nesta segunda-feira (23) em Bruxelas. Em coletiva de imprensa, Michel disse que o metrô e as escolas não irão funcionar, diante do risco de ameaças de atentados que classificou como "sérias e iminentes".

Pelo segundo dia consecutivo, as ruas da capital belga continuaram vazias, ocupadas quase exclusivamente pelas forças de ordem. Como no sábado (21), todas as linhas de metrô continuaram fechadas, bem como museus e salas de espetáculo. Shows e eventos esportivos foram cancelados. As autoridades voltarão a avaliar a situação na segunda-feira à tarde.

O primeiro-ministro belga, Charles Michel, informou que a decisão de manter o nível 4 de alerta máximo na região de Bruxelas foi adotada em uma reunião ministerial neste domingo. No resto do país será mantido o nível 3, que indica uma ameaça "possível e verossímil".

"Tememos ataques similares aos de Paris, de vários indivíduos, com ofensivas em vários lugares ao mesmo tempo, contra lugares muito frequentados", disse Michel neste domingo. Segundo ele, "ruas comerciais, eventos, lugares públicos e transportes" de Bruxelas seriam potenciais objetivos.

Salah Abdeslam segue foragido

A polícia belga continua em busca de Salah Abdeslam, suspeito de ter participado dos atentados do dia 13 de novembro em Paris e foragido desde então. Neste domingo, a França revelou que o telefone do suspeito foi rastreado no 18° distrito de Paris, onde, na semana passada, também foi encontrado um carro alugado em seu nome.

A polícia suspeita que essa região tipicamente turística de Paris, onde está o bairro de Montmartre, também deveria ser alvo do ataque, mas que talvez um problema técnico teria impedido Salah Abdeslam de realizar um atentado no local. O 18° distrito chegou inclusive a ser mencionado na reivindicação dos massacres pelo grupo Estado Islâmico.

Em entrevista à televisão belga neste domingo, Mohamed Abdeslam, irmão de Salah e também de Ibrahim Abdeslam, um dos homens-bomba dos ataques em Paris, voltou a dizer que não sabe onde está o foragido e defendeu sua inocência. "Salah é uma pessoa muito inteligente. Acho, sinceramente, que no último minuto Salah tentou voltar atrás. Talvez ele tenha visto ou ouvido algo que não esperava e decidiu não ir até o final daquilo que desejava fazer."

Mohamed Abdeslam também pediu que o irmão se entregue às autoridades. "Até hoje não conhecemos os resultados das investigações. Não sabemos se Salah matou pessoas ou se ele esteve nos locais dos atentados. Por isso desejamos que ele se entregue e que tragas as respostas que nós esperamos. Quando digo nós, me refiro à nossa família, mas também os parentes das vítimas. Preferimos vê-lo na prisão do que em um cemitério", declarou.

Fonte: Rádio França Internacional

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome