Unicef pede urgência na proteção dos direitos infantis em Moçambique

0
30

20/11/2016

Unicef pede urgência na proteção dos direitos infantis em Moçambique

Ouvir /

Representante da agência indica que conflitos, crises e pobreza põem em risco vidas e sonhos de milhões de crianças; Marcoluigi Corsi cita violações como uma das razões para crescimento lento, desigualdade e menos estabilidade.

Unicef planeia atividades como apoio e reforço das ações com as crianças moçambicanas. Foto: Emídio Josine.

No âmbito da comemoração do Dia Universal da Criança, que se assinala este 20 de novembro, o representante do Fundo das Nações Unidas para Infância, Unicef, em Moçambique alerta sobre as violações dos direitos da criança.

Em nota, Marcoluigi Corsi reafirma que a proteção dos direitos da criança é mais urgente do que nunca. Ele considera que esse é um aspeto fundamental para construir sociedades mais fortes e mais estáveis.

Crescimento Lento

Para o representante do Unicef "é preciso parar com os abusos uma vez que tal fator faz com que o país tenha um crescimento lento, maior desigualdade e menos estabilidade".

Os conflitos, as crises e a pobreza são citados pelo representante do Unicef como "fatores que colocam em risco vidas e futuros de milhões de crianças. Daí a urgência na proteção dos direitos da criança, para evitar a atual situação em que os direitos de milhões delas "estão a ser violados diariamente."

Medidas

Moçambique ratificou a Convenção sobre os Direitos da Criança em abril de 1994. Desde então, o país "tem tomado as medidas necessárias para garantir uma melhor vida para as crianças."

Em dezembro, o Unicef marcará 70 anos de trabalho dando assistência para salvar vidas, apoio a longo prazo e esperança para crianças cujas vidas e futuros são ameaçados por conflitos, crises, pobreza, desigualdade e discriminação.

Para assinalar a efeméride, as atividades incluem o apoio e o reforço das ações com as crianças dos órgãos de comunicação social do projeto Criança para a Criança e engajamento nas suas redes sociais.

Compartilhe

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome