Pequenos peixes com “grande papel” em zonas áridas de África

0
32

Ouvir /

Avaliação está em novo relatório da FAO; segundo documento, peixes pequenos e de rápido crescimento podem ser "aliados cruciais" no combate à nestas regiões em África Subsaariana.

Pescador em Tera, no Níger. Foto: Fao

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Peixes pequenos e de rápido crescimento podem ser "aliados cruciais" na corrida para acabar com a fome em algumas das regiões mais cronicamente pobres e desnutridas.

A avaliação está em um novo relatório da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, FAO, sobre pesca em zonas áridas de África Subsaariana.

Recurso Efémero

Segundo a agência da ONU, a água é um recurso efémero nessas regiões africanas, com corpos d'água a formarem-se e desaparecerem em um período de tempo relativamente curto.

Apesar disso, peixes, alguns a pesar apenas alguns gramas, podem sobreviver e crescer nestes ambientes. Isto torna a pesca de sequeiro no continente "altamente produtiva e resiliente", de acordo com o relatório.

Esta produção varia de acordo com tendências climáticas, mas a FAO afirma que o potencial produtivo é "muito alto" em pequenos corpos d'água. Alguns aparecem apenas uma vez a cada década, mas podem produzir até 150 quilos de peixe por hectare por ano.

Segurança Alimentar

Juntos, estes cobrem uma área muito maior do que os lagos e reservatórios da região Subsaariana.

O documento defende que, se bem administrados, estes corpos apenas no sul de África poderiam produzir 1,25 milhões de toneladas de peixe.

O relatório também descobriu um consumo de peixe em zonas áridas maior do que o informado em números oficiais. Isto indicaria um papel importante "inesperado" para a segurança alimentar local.

Leia e Oiça:

Oceanos saudáveis podem remediar efeitos da mudança climática

Pescadores moçambicanos pedem fiscalização no Dia Mundial dos Oceanos

Entra em vigor primeiro tratado mundial sobre pesca ilegal

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome