ONU tenta conter doenças e possíveis surtos após ciclones no Iémen

0
63

12/11/2015

ONU tenta conter doenças e possíveis surtos após ciclones no Iémen

Ouvir /

Pelo menos 18 das 26 mortes ocorreram na ilha de Socotra; em território somali ciclone Chapala provocou chuvas torrenciais que causaram cheias e danos materiais.

Crianças no Iémen. Foto: ONU/Philip Behan

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Escritório da ONU de Assistência Humanitária, Ocha, estima que 26 pessoas morreram devido aos ciclones que atingiram o Iémen nas últimas duas semanas. Autoridades locais registaram 18 óbitos na ilha de Socotra.

As Nações Unidas anunciaram que trabalham com parceiros de saúde no terreno na vigilância de doenças e no controlo de possíveis surtos.

Danos na Somália

A avaliação foi feita na sequência da passagem do ciclone Megh, que chegou ao Iémen no fim de semana. Antes, passou a tempestade tropical Chapala, que também afetou o nordeste da Somália. Em território somali chuvas torrenciais foram maiores que a média anual e causaram inundações e danos materiais.

No Iémen, o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, disse que nos próximos dias vai fornecer equipamentos de higiene nas províncias de Hadramaut e Shabwah que foram as mais afetadas pelas tempestades.

Centros

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, anunciou a entrega de utensílios domésticos e tendas para mais de 5 mil pessoas em Shabwa. Uma parte dos desalojados continua em centros coletivos ou ainda dorme ao relento.

Já o Programa Mundial de Alimentação, PMA, continua a distribuir biscoitos altamente energéticos para cerca de 25 mil pessoas.

Aldeias

A Organização Mundial para Migrações, OIM, oferece caminhões de água. Devido à falta de combustível há dificuldades de chegar a algumas das aldeias afetadas.

Apesar de um aumento do número de navios que atracaram nos portos iemenitas em outubro, a importação de combustíveis continuou muito abaixo das necessidades. Os preços do trigo continuam altos, apesar do aumento das importações.

De acordo com a ONU, os esforços humanitários beneficiam a uma pequena parte dos necessitados devido à alta dependência do país da importação de combustíveis e de alimentos.

*Apresentação: Denise Costa.

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome