ONU apoia Fórum Nacional de Saúde Materna na Guiné-Bissau

0
36

Ouvir /

Participantes do setor da saúde debatem sucessos e fracassos do projeto H4+; iniciativa conjunta termina em dezembro; fórum decorre entre terça e quarta-feira em Bissau.

Avanços e desafios na redução da mortalidade materna e infantil na Guiné-Bissau é lema de Fórum no país. Foto: ONU/Martine Perret

Amatijane Candé, de Bissau para a Rádio ONU.

Avanços e desafios na redução da mortalidade materna e infantil na Guiné-Bissau é o lema do Fórum Nacional de Saúde Materno-infantil promovido pelo governo guineense de 12 a 13 de julho.

O Sistema das Nações Unidas e outros parceiros do governo apoiam a iniciativa, que avalia um projeto para reduzir a mortalidade materna e infantil, melhorar a saúde das mães, conhecido por H4+, que termina este ano.

Reflexão

O fórum reflete a execução do Plano Operacional para a Passagem a Escala Nacional, Popen, das intervenções de alto impacto na redução da mortalidade materna e infantil com os principais atores do setor de saúde.

Concretizações

Numa entrevista a Rádio ONU na capital guineense, a Coordenadora do Programa H4+ na Guiné-Bissau, Mária Teixeira, considerou o encontro importante pela oportunidade para debater o que foi feito em prol da melhoria da saúde das mães e crianças.

"Depois de três anos do Programa H4+ e também do seu programa congénere, Pimi, da União Europeia, há que pensar sobre o que se conseguiu, os progressos que se conseguiram fazer, mas também aprender com aquilo que não correu tão bem e no fundo nos permite melhorar para o futuro."

Graças ao programa, o país conta atualmente com estruturas de saúde mais bem equipadas, uma comunidade mais sensibilizada em questões de género, VIH e direitos humanos, e um sistema de promoção da importância de gratuitidade, conforme disse Mária Teixeira.

Acesso a Saúde

Para a Coordenadora foi também possível implementar a gratuitidade de medicamentos para as crianças até os cinco anos, as mulheres grávidas e parturientes, facilitando desta forma o acesso aos cuidados de saúde. Ela destacou ainda resultados alcançados no domínio da formação.

"Contribuímos muito para a formação, melhoria da formação e capacitação dos profissionais de saúde, que são as peças essenciais do sistema que estão no dia-a-dia a atender quem mais precisa. O país compreendeu a importância de investir na saúde materno-infantil. A seguir a H4+ o setor da saúde está mais fortalecido."

O Programa Conjunto do Sistema das Nações Unidas veio na sequência do apelo do secretário-geral da ONU a todos os atores no sentido de unirem esforços para reduzir a mortalidade e morbilidade materna e infantil. É um programa mundial e está atualmente em dez países africanos.

A Organização Mundial de Saúde, OMS, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, a ONU Mulheres, ONU Sida e o Fundo das Nações Unidas para a População, Unfpa, estão envolvidos na iniciativa.

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome