ONU alerta que ondas de calor podem continuar matando milhares de pessoas

0
49

Ouvir /

Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres pediu que sejam tomadas medidas para reduzir mortalidade; agência ressaltou possível aumento de óbitos devido a temperaturas muito quentes causadas por mudança climática.

Mãe e filha se protegem do sol no Paquistão. Foto: Pnud/Hira Hashmey

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres, Unisdr, alertou nesta quinta-feira para o possível aumento de mortes causadas por ondas de calor devido à mudança climática.

A agência pediu que sejam tomadas medidas para reduzir a mortalidade causada pelo fenômeno.

Temperatura Recorde

O alerta veio poucos dias após a Organização Meteorológica Mundial, OMM, anunciar que as temperaturas globais para os primeiros seis meses do ano chegaram a novas altas, colocando 2016 no caminho para ser o ano mais quente já registrado.

A agência também ressaltou a temperatura de 54º Celsius no Kuwait na semana passada.

Ondas de Calor

O representante especial do secretário-geral para a redução do risco de desastres, Robert Glasser, afirmou que milhões de pessoas em todo o mundo deveriam estar recebendo alertas sobre ondas de calor para que não se repitam as milhares de mortes causadas pelo fenômeno, principalmente na Ásia e na Europa no ano passado.

Entre 2005 e 2015, uma média de 25 grandes ondas de calor foi registrada a cada ano, resultando em cerca de 7,2 mil mortes anuais. Em 2015, o ano mais quente já registrado, foram informadas cerca de 3,2 mil mortes na França, 2,2 mil na Índia e 1,2 mil no Paquistão.

Mudança Climática

Glasser ressaltou que a mudança climática está ampliando o impacto de diversos episódios de temperaturas extremas.

Ele destacou a necessidade de uma gestão do risco de desastres com ênfase no calor extremo para reduzir a mortalidade causada por este fenômeno.

O representante do secretário-geral pediu mais ação para garantir que pessoas carentes, incluindo refugiados, crianças, idosos e pessoas com deficiência tenham acesso a avisos com bastante antecedência.

Glasser ressaltou ser preciso que elas também tenham acesso à água, abrigo adequado e proteção do calor e do sol.

O tema do Dia Internacional para a Redução de Desastres, em 13 de outubro, é reduzir mortalidade.

Leia e Ouça:

ONU lança campanha para salvar vidas durante desastres naturais


“Impactos de fenômenos como El Niño serão cada vez mais imprevisíveis”

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome