OMS acompanha primeira epidemia de zika em Cabo Verde

0
42

24/12/2015

OMS acompanha primeira epidemia de zika em Cabo Verde

Ouvir /

Segundo agência da ONU, mais de 4,7 mil casos suspeitos haviam sido registados até o começo do mês em vários municípios; Praia reportou 81% dos casos e até o momento não há indícios de complicações neurológicas.

Prevenir picada do mosquito é principal recomendação. Foto: OMS WHO/C. Jasso

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A primeira epidemia do vírus zika em Cabo Verde está a ser acompanhada pela Organização Mundial da Saúde, OMS. A agência da ONU foi notificada sobre os primeiros casos a 21 de outubro.

Mas os primeiros pacientes com sintomas apareceram a 27 de setembro. Desde então e até o dia 6 de dezembro, haviam sido relatados 4.477 casos suspeitos de zika em várias localidades da Ilha de Santiago, como Praia, Santa Catarina, Santa Cruz, São Domingos e Tarrafal.

Complicações

O município de Praia reportou 81% dos casos, ou mais de 3,8 mil. Até o momento, nenhum paciente teve complicações neurológicas, um dos efeitos do vírus.

A OMS explica que já estão em prática várias medidas de controlo, como reforço da vigilância, reforço da confirmação dos testes de laboratório; mobilização social e ações para controlar o mosquito vetor.

Junto ao Instituto Pasteur de Dacar, no Senegal, está a ser desenvolvido um protocolo para avaliar a circulação do vírus.

Grávidas

As grávidas também estão a ser monitoradas para deteção de microcefalia ou complicações neurológicas nos bebés. Segundo a OMS, estão a ser acompanhados de perto 30 casos entre grávidas.

A proximidade do mosquito vetor com o habitat humano é um grande factor de risco para a infeção pelo zika. Reduzir o contato com o mosquito e prevenir locais propícios à reprodução das larvas são medidas essenciais de controlo.

Prevenção

O Aedes aegypti é o principal transmissor do vírus zika, por isso é recomendado o uso de inseticida, repelentes e redes mosquiteiras para evitar a picada. A OMS indica também o uso de calças ou camisas de manga comprida, especialmente em grávidas.

Além de Cabo Verde, um outro país de língua portuguesa está a enfrentar a epidemia de zika: o Brasil. No início do mês, a OMS chegou a emitir um alerta sobre a relação do vírus com o aumento dos casos de microcefalia em bebés.

Leia Mais:

Casos de microcefalia no Brasil aumentam 20 vezes e OMS emite alerta

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome