Metade das meninas entre 15 e 19 anos não sabe ler nem escrever em Moçambique

0
56

Ouvir /

Unfpa quer apoio conjunto para empoderamento das meninas; grupo é foco das comemorações do Dia Mundial da População em 2016; mais de 22% destas foram vítimas de violência física.

O Fundo das Nações Unidas para a População, Unfpa, quer ajudar a empoderar raparigas em Moçambique. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Ouri Pota, da Rádio ONU em Maputo.

O Fundo das Nações Unidas para a População, Unfpa, quer ajudar a empoderar a rapariga em Moçambique onde o grupo apresenta altas taxas de analfabetismo.

Uma nota da agência destaca que metade das raparigas de idades entre os 15 e 19 anos não sabe ler, nem escrever. Uma em cada duas meninas casa-se antes dos 18 anos.

Investimento

As Nações Unidas definiram como lema o investimento nas raparigas para este 11 de julho, Dia Mundial da População.

A ideia é chamar atenção para a necessidade de se investir mais no potencial da rapariga com vista a eliminar as desigualdades entre homens e mulheres na sociedade e travar o ciclo de pobreza.

Em conversa com a Rádio ONU em Maputo, a representante do Unfpa em Moçambique, Betina Maas, disse haver muitas possibilidades para o grupo.

Potencial

"Estamos a ver que dentro da Agenda da População temos que chamar atenção para o tema do empoderamento da rapariga para toda a sociedade perceber a necessidade de se investir mais no seu potencial como forma de eliminar desigualdades entre homens e mulheres na sociedade e para facilitar o potencial de cada rapariga."

Apesar de progressos que se registam em Moçambique no investimento da rapariga, a representante do Unfpa, Bettina Maas, afirma que os desafios são contínuos.

Escola Secundária

"Ainda vemos que entre as raparigas o analfabetismo é muito maior que entre os rapazes. Sabemos que 1,2% tem a escola secundária completa. As raparigas estão expostas ao abuso sexual, maior índice de HIV, gravidez precoce e também um alto índice de casamento prematuro."

O Unfpa destaca que 22,4% das raparigas e adolescentes entre 15 e 19 anos já foram vítimas de violência física em Moçambique.

A nível global, a agência apoiou 11,2 milhões de raparigas de idades entre 10 e 19 anos a ter acesso aos serviços de saúde sexual e reprodutiva e informação em 2015.

Leia Mais:

FAO ajuda 90 mil famílias a lidar com as mudanças climáticas em Moçambique

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome