Líbios deslocados duas vezes pela guerra pedem ajuda urgente

0
45

07/12/2016

Líbios deslocados duas vezes pela guerra pedem ajuda urgente

Ouvir /

Agência da ONU para Refugiados, Acnur, cita residentes da cidade de Sirte desalojados pelos combates em 2011 e também neste ano; civis estariam passando necessidade mesmo com a cidade sendo retomada das milícias.

Deslocado interno líbio em Alarbaeen, na Líbia. Ele está entre os milhares de residentes de Sirte que foram deslocados por causa dos conflitos. Foto: Acnur

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Nesta quarta-feira, a Agência da ONU para Refugiados, Acnur, alertou para a situação de residentes da cidade de Sirte, na costa da Líbia, forçados a deixar suas casas por conta dos combates em 2011 e, de novo, neste ano.

Segundo a agência, os desalojados no local enfrentam grande necessidade, mesmo com a cidade sendo retomada das mãos das milícias.

Vida difícil

Para o chefe da missão do Acnur no país, Samer Hadaddin, com o passar do tempo as necessidades de proteção dessas famílias estão se tornando "cada vez mais críticas", a citar o aumento dos cursos de aluguel e hiperinflação, entre outras questões.

Ele afirmou que a vida "está a ficar mais difícil para as pessoas na Líbia", a mencionar oportunidades de emprego escassas para todos.

Avaliação

Em parceria com a instituição Mercy Corps, o Acnur está a realizar uma rápida avaliação em Sirte para identificar as necessidades das famílias deslocadas internas e das que estão a retornar à cidade.

Grande parte do local estaria inacessível e a reconstrução prejudicada devido a restos de explosivos improvisados.

Durante os meses de verão, o Acnur e a instituição Libaid distribuíram cobertores, lâmpadas solares e itens de cozinha para mais de 3 mil pessoas deslocadas de Sirte para Benghazi.

Leia e Oiça:

Líbios “frustrados com ritmo lento do progresso”, diz representante da ONU

Líbia será prioridade no próximo ano, diz chefe do TPI

Líbia: OIM trabalha por melhores condições em centro de imigrantes

Compartilhe

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome