Fórum da ONU quer novas abordagens para levar internet a todos

0
30

09/12/2016

Fórum da ONU quer novas abordagens para levar internet a todos

Ouvir /

Encontro de quatro dias em Guadalajara, no México, terminou esta sexta-feira; especialistas disseram que questões mais importantes nos debates foram acesso, segurança cibernética, transparência e privacidade.

Fórum de Governança da Internet. Foto: Simone D. McCourtie / Banco Mundial

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Fórum de Governança da Internet terminou esta sexta-feira em Guadalajara, no México, com os participantes pedindo "novas abordagens" para fornecer internet a todas as pessoas no mundo.

Eles querem reduzir o chamado "hiato digital" que exacerba as desigualdades nos países. Nos quatro dias de debates sobre o futuro da internet, foram feitos pedidos para a adoção de ações conjuntas que garantam o acesso a todos os cidadãos tanto em nações desenvolvidas como em desenvolvimento.

Multilateral

De Guadalajara, onde estava participando do Fórum, o diretor do departamento de temas científicos e tecnológicos do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, Benedito Fonseca Filho, falou à Rádio ONU sobre o evento.

"O Brasil é um país que tem participado muito ativamente dos processos de governança da internet, isso no marco da implementação dos resultados da Cúpula Mundial de Sociedade da Informação, que definiu que a governança da internet deve ser feita de uma maneira multilateral, envolvendo todos os países em pé de igualdade, mas também multisetorial, envolvendo todos os setores interessados, sociedade civil, setor privado, comunidades acadêmicas e técnicas. Por outro lado, no âmbito das Nações Unidas, como sabemos, a implementação dos mecanismos do desenvolvimento sustentável é o desafio dos próximos anos".

O diretor regional da União Internacional das Telecomunicações, Bruno Ramos, que também participa do encontro, disse à Rádio ONU como a utilização das tecnologias de informação e comunicação podem ajudar as pessoas.

" Um exemplo seria um projeto que a UIT fez com o governo de Costa Rica a partir de 2013 na implementação de um projeto com as empresas de comunicação de envio de mensagens curtas, que nós chamamos de SMS, para as pessoas dando exemplos dos malefícios de fumar. Foi um projeto que diminuiu o número de fumantes informando as pessoas sobre os malefícios da parte do fumo."

Jovens

O Fórum discutiu também uma variedade de questões importantes além do acesso, que inclui direitos humanos e liberdade de expressão online, cooperação de todos os setores da sociedade e segurança cibernética.

Foi dada também atenção especial aos jovens e a questões de gênero e do "hiato digital", que é a diferença tecnológica que existe entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento.

Os especialistas disseram que os níveis mais baixos de acesso à internet estão na região da África Subsaariana, com menos de 3% da população online, sendo que na Eritreia esse índice é de apenas 1,1%.

Na questão da disparidade de gênero, existem atualmente 257 milhões de homens a mais do que mulheres usando a internet. Apesar disso, as mulheres são as que enfrentam o maior número de assédios e abusos online.

Compartilhe

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome