Conselho de Segurança debate situação em Mossul nesta quarta-feira

0
48

09/11/2016

Conselho de Segurança debate situação em Mossul nesta quarta-feira

Ouvir /

Escritório de Assistência Humanitária da ONU, Ocha, informa que 13 mil pessoas tiveram que fugir de suas casas desde 4 de novembro por causa da ofensiva à cidade iraquiana; alto comissário de Direitos Humanos recebeu relatos de que 295 forças de segurança foram sequestradas nos arredores da cidade.

Família deslocada pelos combates no vilarejo de Shora, a 25 quilômetros de Mosul. Foto: Acnur/Ivor Prickett

Monica Grayley, da Rádio ONU.

As Nações Unidas realizam um debate nesta quarta-feira sobre a situação humanitária e de segurança em Mossul, a cidade iraquiana que está sendo alvo de uma ofensiva militar. A reunião ocorrerá no Conselho de Segurança.

O Escritório de Assistência Humanitária da ONU, Ocha, informou que mais de 35 mil pessoas tiveram que fugir de suas casas. Somente desde 4 de novembro, 13 mil iraquianos foram deslocados.

Crime

O Alto Comissariado de Direitos Humanos recebeu informações de que pelo menos 295 forças de segurança iraquianas tinham sido sequestradas pelo grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil, também conhecido como Daesh. O crime ocorreu nos arredores das cidades de Mossul e de Tal Afar.

Os combates violentos continuam obrigando os moradores a sair em direção ao leste. O Exército iraquiano e aliados tentam retomar o controle da cidade, que desde 2014, está nas mãos do Isil.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, informou que já entregou assistência médica a mais de 90 mil pessoas no hospital de Erbil, que fica a uma hora de Mossul.

Petróleo

As 11 clínicas móveis da OMS e 19 ambulâncias também estão socorrendo os civis na cidade de Ninewa. Muitos dos pacientes chegam ao local com ferimentos devido a bombardeios e traumatismo.

A OMS ainda não sabe o número exato de óbitos. Mas segundo a agências, vários iraquianos foram vítimas de asfixia ao inalarem dióxido de enxofre por causa dos poços de petróleo em chamas há várias semanas.

Já o Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos está examinando relatos da existências de valas comuns. No último dia 25, 50 ex-policiais iraquianos teriam sido assassinados num edifício perto de Mossul. Moradores informaram que no mesmo local apareceram corpos numa vala. A ONU disse que está tentando obter mais detalhes sobre os relatos.

Compartilhe

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome