Com mudanças nas dietas, obesidade está em alta na Ásia-Pacífico

0
22

06/12/2016

Com mudanças nas dietas, obesidade está em alta na Ásia-Pacífico

Ouvir /

Segundo a FAO, índice regional de obesidade está crescendo mais de 4% por ano; em contrapartida, a região abriga mais de 60% dos 800 milhões de famintos do mundo.

Foto: FAO/Vinod Ahuja

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.*

Os progressos para combater a fome na Ásia-Pacífico estão lentos, segundo um relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO.

A região abriga mais de 60% dos 800 milhões de famintos do mundo e 12% dos asiáticos estão subnutridos, a maioria no sul do continente. Aproximadamente uma entre três crianças sofre de problemas de crescimento devido à desnutrição.

Derivados do leite

O relatório da FAO chama a atenção para outros desafios da Ásia-Pacífico: com o aumento do poder de renda dos habitantes, as dietas e as exigências para certos tipos de comida estão mudando de forma rápida.

Enquanto o consumo per capita de arroz caiu, o consumo de carnes, peixes, frutas, vegetais e de derivados do leite cresceu.

Tempo

Ao mesmo tempo em que os índices de desnutrição são altos, cresce também a taxa de obesidade, resultado de dietas cada vez mais pobres. A FAO destaca que o índice regional de obesidade da Ásia-Pacífico cresce mais de 4% por ano.

O relatório recomenda aos países da região que redobrem os esforços para atingir a meta de não ter ninguém passando fome até 2030, como prevê a Agenda para o Desenvolvimento Sustentável.

A representante regional da FAO, Kundhavi Kadiresan, lembra que o ano de 2030 pode parecer longe, mas será uma realidade em apenas 14 anos e ainda existem meio bilhão de asiáticos passando fome.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

Leia e Ouça:

FAO começa distribuição de emergência de sementes no Haiti

Unctad quer acordos comerciais juridicamente vinculativos para proteger pesca

Entrevista: Dia Mundial dos Solos

Compartilhe

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome