Chefe da Missão da ONU na Líbia condena morte de 12 prisioneiros em Trípoli

0
31

Ouvir /

Martin Kobler pediu investigação conjunta nacional e internacional; ação ocorreu após libertação ser anunciada por tribunal.

Martin Kobler. Foto: ONU/Manuel Elías

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O representante especial do secretário-geral da ONU na Líbia, Martin Kobler, condenou de forma veemente o assassinato de 12 prisioneiros em Trípoli depois de suas libertações serem anunciadas pelo tribunal.

A ação decorreu na última quinta-feira, 9 de junho. Kobler, que também é chefe da Missão de Apoio das Nações Unidas no país, Unsmil, expressou sua solidariedade e enviou condolências às famílias das vítimas.

Investigação Independente

O representante expressou ainda estar "chocado e entristecido" por este "crime hediondo e vil" e especialmente "ultrajado" por relatos de que as vítimas teriam sido "barbaramente espancadas e baleadas na cabeça e no peito diversas vezes".

Kobler defendeu que o crime deve ser investigado de forma "minuciosa e independente" e os responsáveis levados à justiça.

Impunidade

O representante especial lembrou a todos que "a impunidade deve acabar" e que o Estado de direito é a fundação de instituições democráticas.

Ele instou o estabelecimento de uma investigação conjunta nacional e internacional, e afirmou que vai acompanhar de perto os acontecimentos.

Kobler também fez um apelo para que sejam tomadas medidas para garantir a segurança de todos os detentos e prisioneiros, incluindo no momento de sua libertação.

Leia e Oiça:

Novos naufrágios causam morte de pelo menos 700 no mar Mediterrâneo

TPI pode investigar crimes cometidos pelo Isil na Líbia

Líbia: confrontos entre militares e o Isil fazem fugir milhares de Sirte

Fonte: Rádio ONU

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome