Tonico, Tinoco, Tião Carreiro e Pelé

0
1042

pele-1958O termo futebol-arte surgiu no século passado, marcando o período das primeiras conquistas da Seleção Brasileira, nas Copas do Mundo de 1958, na Suécia, e de 1966, no Chile. Embalado pelos gols de Pelé e pelos dribles geniais de Garrincha, o futebol brasileiro superou o trauma do Maracanaço, da Copa de 1950, e se consolidou como o grande esporte do país, unindo toda a nação em torno do rádio, que trazia as notícias destes primeiros títulos mundiais.

Em 58, Garrincha e Pelé (o segundo com apenas 17 anos de idade) começaram no banco de reservas, mas entraram durante o torneio, integrando um dos maiores ataques de todos os tempos. Além de uma linha genial, o Brasil também tinha uma defesa muito sólida, tanto que a equipe não sofreu gols nos quatro primeiros jogos (3×0 contra a Áustria, 0x0 com a Inglaterra, 2×0 na União Soviética e 1×0 no País de Gales). Na reta final (semifinal e final), brilhou a estrela do futuro rei do futebol: Pelé marcou três gols na vitória de 5×2 sobre a França e mais dois na grande final, em mais um 5×2, agora sobre os donos da casa.

a_saudade_vai_compacto_1964A brilhante conquista não demorou para contagiar a música sertaneja, que rendeu algumas homenagens aos novos campeões mundiais. Logo após o título na Suécia, Tonico e Tinoco (que até hoje são os recordistas de venda de discos no Brasil, com 150 milhões de cópias) lançaram a canção Esquadrão Brasileiro, uma composição de Tonico, Tinoco e Pedro Capeche, que seria lançada em compacto (78 rpm) em outubro de 1958 (junto com a canção Amor Desprezado, em seu lado B). Na levada do cateretê, a dupla citou os 11 titulares na grande final (Gilmar; Djalma Santos, Belini, Orlando e Nilton Santos; Zito e Didi; Garrincha, Vavá, Pelé e Zagallo), homenageando a maior conquista do futebol brasileiro, até então.

Esquadrão Brasileiro (Tonico – Tinoco – Pedro Capeche)

O sertão está louvando
O nosso time altaneiro
Que venceu lá na Suécia
Os países do mundo inteiro
Mostrando nosso valor
Para todo os estrangeiros
O mundo inteiro aplaudiu
Os campeões brasileiros

Um viva para o Gilmar
E todos os que combateram
O Belini e Nilton Santos
Nosso valente zagueiro
Djalma, Zito e Orlando
Nosso torrão defenderam
Honrando a nossa bandeira
Os campeões brasileiros

Garrincha, Didi e Vavá
Na linha são os primeiros
Com Zagalo e o Pelé
Atacantes pioneiros
Ganhando a Copa do Mundo
E todos os jogo venceram
Um viva pros diretor
Do Esquadrão Brasileiro

O nosso Brasil glorioso
Campeão do mundo inteiro
Vai ficar em nossa lembrança
Na história dos estrangeiros
Aqui vai nossa homenagem
Em nome dos violeiros
Saudando a grande vitória
Do Esquadrão Brasileiro


“Com Pelé ou sem Pelé”

copa-do-mundo_1962_brasilDepois do título na Suécia, a Seleção Brasileira tentou repetir todo o planejamento na Copa no Chile, tanto dentro quanto fora de campo. Por problemas de saúde, saiu o técnico Vicente Feola e entrou Aymoré Moreira, no entanto, grande parte da comissão técnica foi mantida. A base do time também foi repetida, mesmo com alguns jogadores já em idade avançada, como Nilton Santos (37 anos), Didi (32) e Djalma Santos (33). Mas desta vez, um imprevisto preocupou: após a vitória de 2×0 sobre o México, a Seleção empatou sem gols com a Tchecoslováquia e viu Pelé sair de campo contundido, sem condições de jogar o mundial. Mas apesar da pressão, Amarildo (que jogava no Botafogo) substituiu o Pelé contra a Espanha, marcando os dois gols da vitória por 2×1. Nas fases seguintes, porém, quem chamou a responsabilidade foi Garrincha, marcando dois gols na vitória sobre a Inglaterra (3×1) e mais dois contra o Chile (4×2).

Além disso, o Brasil se mostrou forte, também, fora de campo. Durante o jogo da semifinal, contra os chilenos, Garrincha foi expulso. Em depoimento à Fica, o árbitro o Arturo Yamasaki declarou não ter visto a agressão e que a expulsão aconteceu pela informação do bandeirinha uruguaio, Esteban Marino. A Fifa convocou Marino para depor, mas ele nunca apareceu. Como, na época, fotos e filmes não eram aceitas como provas, Garrincha foi liberado para jogar na final. Se houve uma interferência dos bastidores para que Marino não aparecesse, isso nunca ficou comprovado. Polêmica à parte, com ‘Mané’ em campo, o Brasil venceu a Tchecoslováquia por 3×1 (com gols de Amarildo, Zito e Vavá) e garantiu sua segunda conquista mundial.

FOTO 03Mais uma vez a música caipira fez sua homenagem ao selecionado nacional, com a faixa Bicampeão Mundial (composição de Zé Carreiro e Teddy Vieira), embalada pelo inconfundível pagode de viola de Tião Carreiro e Pardinho. Desta vez, a letra descrevia toda a campanha da equipe até o título e trazia alguns detalhes interessantes, como o choro dos mexicanos, a virada sobre os espanhóis, o ferrolho da Tchecoslováquia e o show de Garrincha, entre outros. Até mesmo o marechal da vitória (Paulo Machado de Carvalho, chefe da delegação na Suécia e no Chile) foi lembrado, demonstrando o quanto foi importante o fator extracampo na conquista do bi.

Bicampeão Mundial (Zé Carreiro e Teddy Vieira)

A seleção canarinho brilhou lá no estrangeiro
Mostrou a classe e o valor do futebol brasileiro
Conquistou o bi campeão nem um tento eles perderam
Trouxeram a taça de volta pra terra que eles nasceram

Brasil com os mexicanos, primeiro a ser disputado
Perderam de dois a zero, choraram ao ser derrotado
Brasil e Tchecoslováquia, o jogo ficou empatado
E os dois quadros perderam um ponto pra cada lado

Brasil jogou com a Espanha que o primeiro gol marcaram
A nossa turma reagiu, até o fim triunfaram
Brasil jogou com a Inglaterra que o futebol inventaram
A taça campeã mundial os ‘inglês’ nunca levaram

Chilenos entraram no campo, todos gritaram olé
Ontem nós tomamos vodca, hoje nós toma café
Vamos vencer o Brasil, com Pelé ou sem Pelé
Desta vez dançaram o samba na cadência do Mané

Brasil e Tchecoslováquia para a disputa final
Contavam que eles venciam a seleção nacional
Aplicaram o tal ferrolho e saíram muito mal
Brasil conquistou invicto o bicampeão mundial

Viva Aimoré Moreira, viva Vicente Feola
Viva os craques brasileiros e o marechal da vitória
Viva Amarildo e Garrincha e o Pelé que é o rei da bola
Brasil é campeão do mundo, nós somos campeões da viola

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome